mscmtr

captain-murphy-duality

Captain Murphy – Duality

Agora que Steven Ellison pôs fim ao mistério em torno da identidade de Captain Murphy e revelou – no concerto de estreia – que a enigmática personagem era “só” mais um alter-ego do próprio, podemos focar-nos na análise da sua mais recente mixtape “Duality” com menos incertezas.
Este “alias” de Ellison, em contraste com o estilo electrónico experimental de Flying Lotus, revela-nos a face rapper do artista, por consequência, muito mais contundente e provocadora nas letras e vídeo apresentados.

As faixas contam com colaborações de verdadeiros pesos pesados do beat, desde o próprio Flying Lotus, passando por Madlib, Teebs, SAMIYAM, Earl Sweatshirt, TNGHT, Clams Casino, Jeremiah Jae – escolham o vosso preferido. Devem ter reparado que os nomes acima citados são todos da área de Los Angeles e isso não é uma questão menor na análise a este trabalho. Há já algum tempo que o movimento hip-hop da costa oeste dos E.U.A. evoluiu do “gangsta rap” para expressões artísticas mais elaboradas e, das quais, a etiqueta Brainfeeder e o colectivo Odd Future são os seus representantes mais consensuais. É exactamente neste segmento que o “rookie” Murphy se encaixa.

Ao ouvir a mixtape, irão notar algumas vezes o relevo de termos como “God” e “Cult Leader”; e é assim que Captain Murphy se apresenta – adorado, carismático, misterioso, alguém que controla as mentes dos outros e que se refere a eles (nós) como discípulos. Depois é-nos ensinado em várias lições recheadas de instruções, propaganda, propostas a fazer algum do trabalho que Deus não fez… Tudo embrulhado em samples e beats muito psicadélicos e delicadamente muito bem produzidos. O resultado final não podia ser outro que não excelente.
As faixas interligam-se umas com as outras muito naturalmente, o que ajuda de sobremaneira à fluidez da história mas também torna mais difícil a tarefa de escolher uma para destacar. Assim, o nosso destaque vai para o épico vídeo de 35 minutos que acompanha o trabalho. Fica o aviso que é NSFW, uma vez que foi construído a partir da colagem de imagens sugestivamente psicadélicas, excertos de filmes série b e alguma pornografia. Tudo isto culmina numa experiência que agita as mentes de um modo um pouco perturbador, e julgo ser essa a intenção.

Captain Murphy já vem lançando desde o início do ano faixas avulso, o que torna esta “Duality Mixtape” no seu primeiro trabalho de fundo. Em poucas palavras, isto significa que é um trabalho imperdível de um artista que certamente irá (e está a) marcar esta era que atravessamos. Podem ouvir o trabalho, na íntegra, aqui.